terça-feira, 22 de novembro de 2011

As 13 Colônias e a Guerra da Secessão - Atividade

Elaborei o seguinte trabalho para meus alunos:

Crie um texto relacionando as Treze colônias e a Guerra da Secessão.
Segue abaixo a resposta base.

As Treze Colônias e a Guerra da Secessão


Devido à diversificação na forma econômica e política de ocupação do território norte-americano pela Inglaterra, desenvolveram-se divergências entre as colônias do Norte e as colônias do Sul que eclodiram na Guerra da Secessão em 1861.

Bibliografia

ORDOÑEZ, Marlene. Caderno do Futuro: História. 8ª Série. São Paulo: IBEP, 2007. pp. 94-96.


Você também poderá gostar de:

domingo, 20 de novembro de 2011

Museu On Line também é divertido!!!

Conheça o Birmingham Museum para crianças!!

Cheio de atividades bem legais e você ainda pode testar seu inglês!!!


Clique no endereço para acessar e escolha sua atividade: http://www.schoolsliaison.org.uk/kids/preload.htm

sábado, 19 de novembro de 2011

Seja um artesão na Grécia Antiga!!!

Sinta-se um artesão na Grécia Antiga, na verdade um designer de vasos!!!

Experimentei e achei bem legal, só faltou mais opções de figuras para enfeitar o vaso, mas o efeito depois de pronto é adorável!!!

Clique no endereço para acessar: http://www.schoolsliaison.org.uk/kids/greecepot.htm

Você também poderá gostar de:

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Comissão aprova regulamentação da profissão de historiador


16/11/2011 16:09

Comissão aprova regulamentação da profissão de historiador

Arquivo/ Leonardo Prado
Alice Portugal
Alice Portugal retirou a exigência de inscrição em conselho de fiscalização do exercício profissional.
A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público aprovou proposta que regulamenta o exercício da profissão de historiador. De acordo com a proposta, historiador é o profissional responsável pela realização de análises, de pesquisas e de estudos relacionados à compreensão do processo histórico e pelo ensino da História nos diversos níveis da educação.
O texto aprovado é o Projeto de Lei 7321/06, do deputado Jovair Arantes (PTB-GO), que tramita apensado ao PL 3759/04, do ex-deputado Wilson Santos. A relatora, deputada Alice Portugal (PCdoB-BA), recomendou a aprovação do projeto apensado, com emenda, e a rejeição do projeto principal. Segundo ela, os projetos regulam a matéria em termos análogos, mas o PL 7321/06 não obriga o Poder Executivo a criar conselho de fiscalização do exercício profissional, como faz o PL 3579/04 – o que é inconstitucional. “Tais conselhos são considerados autarquias especiais e só podem ser criados por meio de lei de iniciativa do Presidente da República”, explica.
O PL 7321/06 prevê, porém, a inscrição do historiador em conselho de fiscalização do exercício profissional. A emenda da relatora retira essa previsão.
Profissionais habilitados
Segundo o projeto, poderão exercer a profissão de historiador no País:
- quem tiver diploma de nível superior em História, expedido no Brasil, por instituições de educação oficiais ou reconhecidas pelo governo federal;
- os portadores de diplomas de nível superior em História, expedidos por escolas estrangeiras, reconhecidas pelas leis de seu país e que revalidarem seus diplomas de acordo com a legislação em vigor;
- os diplomados em cursos de mestrado ou de doutorado em História, devidamente reconhecidos;
- os que, na data da entrada em vigor desta lei, tenham exercido, comprovadamente, durante o período mínimo de cinco anos, a função de historiador.
Para exercerem as funções relativas ao magistério em História, os profissionais deverão comprovar formação pedagógica exigida em lei.
Atividades
A proposta também define as atividades e funções dos historiadores, entre elas:
- planejar, organizar, implantar e dirigir serviços de pesquisa histórica, de documentação e informação histórica;
- planejar o exercício da atividade do magistério, na educação básica e superior, em suas dimensões de ensino e pesquisa;
- elaborar critérios de avaliação e seleção de documentos para fins de preservação;
- elaborar pareceres, relatórios, planos, projetos, laudos e trabalhos sobre assuntos históricos;
- assessorar instituições responsáveis pela preservação do patrimônio histórico, artístico e cultural (museus, arquivos, bibliotecas).
Tramitação
A matéria segue para a análise, em caráter conclusivo, da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Lara Haje
Edição – Regina Céli Assumpção

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara de Notícias'

domingo, 6 de novembro de 2011

A Colonização da América Inglesa

No século XVII, as guerras político-religiosas na Inglaterra provocaram o exôdo de parte da população, que, em busca de abrigo e paz, dirigiu-se para a América com o objetivo de se estabelecer, provocando um povoamento efetivo.
As possessões inglesas na América estavam distribuídas em 13 colônias.
 Desde o Período Colonial, os territórios que dariam origem aos Estados Unidos tiveram uma diversificação na forma econômica de ocupação. O Norte e a parte da região central, pobres em terrenos agrícolas e com estreita planície costeira, que dificultava a exploração e impedia a aquisição de vastas extensões de terras, dedicaram-se mais ao comércio e à manufatura do que à agricultura. Multiplicaram-se as pequenas e médias explorações agrícolas, o comércio, o artesanato, as empresas de pesca e construção naval. Desenvolveu-se a vida urbana e formou-se uma aristocracia comercial.
Já as colônias do Sul apresentavam terras férteis e clima ameno, condições favoráveis ao desenvolvimento de uma intensa atividade agrícola. Proliferaram as grandes fazendas, principalmente de algodão. Formou-se uma poderosa aristocracia agrária, e o trabalho sustentava-se na mão-de-obra escrava negra. A empresa agrocomercial do Sul proporcionava altos lucros para a metrópole.
ATIVIDADES
1. Como se caracterizaram a economia e sociedade das colônias inglesas do Norte? 
2. Como se caracterizaram a economia e sociedade das colônias inglesas do Sul?

Bibliografia: 
Texto e atividades: ORDOÑEZ, Marlene. Caderno do Futuro: História. 8ª Série. São Paulo: IBEP, 2007. pp. 94-96.
Imagem:  Rosental - Editora Moderna